sexta-feira, março 02, 2012












balsâmico
no aroma que vem com você
artemísia
alecrim

nesse reino que é pimenta picante
coentro
poró

raiz forte
- quando a noite cair

se o sal escorrer da retina
e a névoa o olfato
alterar

- salvianiz -

cláudia gonçalves

12 comentários:

MOISÉS POETA disse...

Senti até a fragrância do poema !

Bom para me deixar por aqui ...

Beijo !

Richard Mathenhauer disse...

... as pimentas arderam na minha boca!

Abraços,

Noel e Musinha disse...

Lindo Trabalho!!! Parabéns!

Nanah Amaral disse...

Moça da alma de Poeta!!

Tuas palavras são bálsamos para minh'alma, Cacau!!

beijos no coração!

www.poesia.artesplasticas disse...

Lindo teu blog... estou seguindo-o... beijos

Sérgio Araujo / Chico Araujo disse...

PENA

uma ausência que arde
palavra em silêncio
sem cheiro sem sabor
apenas
uma dor
minha pena
teu verso
em sombra plena

Chico Araujo

Fred Caju disse...

Saudações quem aqui posta e quem aqui visita.
É uma mensagem “ctrl V + ctrl C”, mas a causa é nobre.
Trata-se da divulgação de um serviço de prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins. Para saber mais, visitem o sítio do projeto.

CASTANHA MECÂNICA - http://castanhamecanica.wordpress.com/

Que toda poesia seja livre!
Fred Caju

Herculano Novaes de Aragão disse...

Belíssimo!

Cristiano Marcell disse...

Muito bom!

claudia mendes disse...

Lindo poema!

claudia mendes disse...

Lindo poema!

Barbara Jovanholi disse...

Parabéns pelo blog! Os poemas, a forma... Tudo belo.
Convido vc a fazer parte do meu circuito:
www.barbara-ella.blogspot.com
Depois de tudo. Antes de enlouquecer.

Paz!