quinta-feira, novembro 22, 2007



Pupila

de repente

num piscar
o que era geleira
abriu-se
em chamas

a luz do teu olhar
despiu meus medos


é laço forte
que aperta
desperta
de um grito mudo

ecoando
até o infinito

Cláudia Gonçalves

4 comentários:

rogerio santos disse...

esse bateu nos átomos !
beijos
Rogerio

Benvinda Palma disse...

Muito lindo Claudinha....versos suaves...como a brisa a tocar nossos sonhos!Poetabeijos/Bemtevi-Obrigada por estar neste palco sagrado da poesia!Beijos, beijos

Lady Vania de Tróia disse...

Poeta,

Lêr-te é chegar ao céu...sem asas!!
Sublime e doce às Pampas!!!

Celebro-te!!

ADRIANO disse...

estou ficando revoltado!
não tenho mais palavras para definir tua obra.
até isso tu consegue...
deixar um poeta sem palavras!

EU ADORO TUA OBRA

abraço amiga