quarta-feira, outubro 22, 2008



Caçada

fome
de arte
me tome

grito
teu nome
no ar
 

te invoco
no sonho
na trilha
na trama da rede

- no mar

da esquina
até marte
não vou
me burlar

vem...
vou amar-te
- é meu foco -
não posso adiar

Cláudia Gonçalves

25 comentários:

Anônimo disse...

cacau

que beleza de blog!

imagens escolhidas à dedo com esse seu já conhecido bom-gosto

e poemas deliciosos, na dose certa, pra degustar sem pressa, versos palatáveis e bem temperados, ora com amor, ora com humor, ora bolas!

cacau, você é uma poemidas, tudo que você toca fica mais belo, + poético.

abs,
tchello

Anônimo disse...

"A poeta começa a se deixar tomar pelos entes imagéticos da poesia, que invoca...a arte tem pressa e cobra o preço de servir de guia para se alcançar um mundo válido, recuperado à fantasia, à imaginação...a poeta se resigna e risca no chão traços significantes, letras, símbolos, ritualiza...sabe que não pode resistir ao vaticínio da poesia...mergulha, como Iara na água do rio, se envolve na rede, na trama de bilros da delicadeza...a poeta começa a virar poesia...o poema resulta magro, como são os poemas da Cacau...e faz a ligação, o religare entre o céu e a terra, se deixando moldar pelos ares...o poema dá sombra ao caçador, que faz uma pausa na captura de si mesmo....belo poema, Cacau, como sempre"...

Ricardo Reis

Ellen Veloso Soares disse...

Fantástico, simplesmente!!

rodrigo mebs disse...

caramba! arte com ar te some / te some pra ver no que dá / dará teu nome com fome / conforme tua fome me dá / da arte me farte teu nome / teu nome não falte no ar. (rodrigo mebs.) percebe a sintonia?

Marisa Vieira disse...

Cacau Poeta amada!
Belo demais!
Obrigada pela lira!

beijos da amiga
Marisa Vieira

Educadora em Direitos Humanos disse...

...parabens por um blog tão lindo. Voltarei sempre que possivel. Abraços, Grauninha

Sérgio Araujo / Chico Araujo disse...

Cacau, convite seu é ordem a ser cumprida. Aqui estou. E quanto prazer em me deixar seduzir por versos tão mínimos e tão magestosos, de tão profundos, de tão intensos urros, de tão magnífica revelação / burla-esconderijo. Cada dia melhor, Gaúcha. Beijão.

LAU SIQUEIRA disse...

Apaixonadamente, como Peri. :)
bjs

Assis de Mello disse...

Oi Cacau !!!
Esse poema você escreveu pra mim, não foi ?? rsssss
Se não foi pra mim, faça de conta que foi pq to meio deprezão... rss

Beijo PoetaBruxa !!!!

Chico

Sidnei Schneider disse...

superlegal o blogue, cacau.
revistei de alto a baixo.
bjo bjo

Andrea Motta disse...

Belo um belo poema!!
beijocas com carinho
Andréa

Flacast disse...

Cacau

Tá lindo seu blog.
Sua poesia é maravilhosa e suas imagens de extremo bom gosto.

Eu linkei seu blog no meu.
Vc está com endereço antigo do meu outro blog. Fiz a maior confusão, mas agora to só com esse...

http://armazenadamentepoetico.blogspot.com/

Ele está com Outubro de 2007 no começo... Depois volta a Outubro de 2008... E daqui pra frente devo normalizá-lo.

Beijos e parabens pelo blog

FlavCast

Wagner Marques disse...

a pressa de mar é devastadora...

Laurene Veras disse...

"Não posso adiar"

Dialoga com "Apelo" do Miguel Torga:

(...)
"Hoje, aqui, já, neste momento,


Ou nunca mais.


A sombra do alento é o desalento


O desejo o limite dos mortais. "

:-*

Andrea Motta disse...

Cacau querida!
Gosto muito do seu blog, e no meu blog fiz uma indicação e lhe presenteei com um selo, veja lá! Bom final de semana,

orlando pinhº d-silva disse...

tear
toma
mata
esta
fome
....
arte
home
tera
aser
sera

rogerio santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rogerio santos disse...

Clau... esse teu poema ficou maravilhoso...
Beijo Grande, Rô.


cala a fala teu poema
há anos-luz de luneta
são mil estrelas meninas
gametas na gravidade
mail passei-o girândola
bissexto com mais de mil dias
e nessa viagem não me há Fobos
amar-te e a galáxia é pequena
constelado céu-da-boca
vela na sopa de letras
vento lunar teu poema
reverso de viagem plena

Ricardo Mainieri disse...

Linguagem em jogo rápido, o necessário se torna essencial.
A minimal-poeta Cacau.

Beijão.

Ricardo Mainieri

Juliana Meira disse...

Cacau poeta querida!

gostei muito muito de "entrelinhas"!
parabéns!

beijo

Sérgio Araujo / Chico Araujo disse...

Cacau, esse foi de susto!

Caçada (um dueto)

Chico Araujo

caça, a caçada
arte que te quero
tear
tecer
temer

no plano puro do vôo incerto
o verso escrito em lauda cega
(des)virtual(idade)
registro impresso em lugar
astral

na beleza da hora que se encerra
o segredo da nota que não reverbera

o desterro...


beijodopoeta

Luh Oliveira disse...

Recebi um prêmio, um selo da minha amiga Andréa Motta !A regra é repassar o Selo da Amizade para cinco blogs, isso foi fácil, porque já tenho os meus favoritos:o seu lindo blog é um deles.
Vai lá no meu blog e pegue o seu selinho...

Cheirinhos, Luh Oliveira
www.lu-oliveira.blogspot.com

pituco disse...

saúde em todos os setores prati e todos os teus...namaste

Luiz Alberto Machado disse...

Maravilhosamente lindo tudo por aqui, apaixonantemente especial. Indicarei nas minhas páginas, poetamiga. Aguarde.
Beijabrações
www.luizalbertomachado.com.br

rua do mundo disse...

cacau

passando pra tomar um café, tem ai?
tá lindo tudo que li
bjs