quinta-feira, janeiro 17, 2008



Do calar

às
vezes
basta
ouvir
o
silêncio

e
tudo
muda
de
lugar

na
esquina
do
calar

foi
ali
que
nos
perdemos

Cláudia Gonçalves

6 comentários:

Analuka disse...

Está lindo,
este poema
fluido
feito
de gotas
azuis e
partículas
delicadas!

Amei tudo,
tuas letras e linhas,
e a bela imagem
translúcida
azulada...

Beijos alados, Cacau.

Edith Janete disse...

Como é bom saber calar...
Bom tema, mas vou me calar...para ler!!
beijinho

Bruno Candéas disse...

poema divino
belo e leve
flui e influi no pensamento
nos nossos ventos e emoções
cacau maravilhosa!
sempre!

orlando disse...

na esquina do
não dito

alí onde
encontraram-se

silenciosamente
medita

belo bravo cláudia!
beijabraço

carlos.newlands disse...

às vezes
o silêncio
é a imposição
das palavras
desentendidas

lindo!

bjs

Carlos Arthur

lu.helfstein disse...

Lindo esse poema Cláudia, aliás como todos q vc escreve!!!
Bjos linda!!!