terça-feira, novembro 13, 2007



Desencontro

por onde
não andei
estava
seu rastro

quando
adormeci
você passou

sem perceber
os sulcos
deixados
no caminho

Despertei
enquanto
o sol...
...ainda
dormia

Cláudia Gonçalves

4 comentários:

ADRIANO disse...

só comentar é pouco. preciso falar ao mundo o que precisa ser dito.
a Cacau é o expoente da poesia contemporanea. consegue como poucos expressar sentimentos no papel da mesma forma que os fala. é a poeta madura e maiúscula de nosso cenário leterário. precisaria de mais espaço para defini-la como poeta, como artista das letras e dos sentimentos. cacau, é sincero e tu sabes disso! tua obra é fantástica, simples e principalmente contemporanea (tu sabe o quanto isso significa pra mim). parabens novamente

Ricardo Sant´Anna Reis disse...

Cacau, visitar, de tempos em tempos a sua maravilhosa produção, neste Blog tão bonito, é um recurso que uso para renovar o estoque de lirismo que temos que ter, no exercicio do poetar. Voce é poesia in natura, essencia, na veia. Belissimo o teu poema. Tem uma capacidade infinita de renovar teus formatos, teus temas..voce é uma grande poeta mesmo..adoro o que vc escreve, e a maneira como escreve...nunca vi tanta proximidade entre o sentir e o escrever...não há mentiras (perdão, Fernado Pessoa)...voce sente a poesia...e traduz como ninguem, as impressões que ficam na retina...de uma maneira maravilhosamente lirica e contemporanea...a natureza em teus poemas, é viva e pulssante....a tua poesia é colorida...cheia de tons e sobretons...claramente, é a poesia de quem entende de combinar beleza e o bom gosto...uma poesia de estética humanistica e suave...um projeto de vida, para o bem viver...publique logo o teu livro solo, e não prive mais os leitores de tua grande arte...já devias ter publicado em ingles, para ganhar o mundo...parabens, por teu dom, querida poetamiga....

Leandro Jardim disse...

Tão bonitriste!

Duk@ disse...

DESENCONTRO.
Retornei a tantos,
juntei pedaços do passado na intenção de montar cenas que mesmo inesquecíveis, com o tempo se fizeram pó.
DESENCONTRO.
Onde andaras linda,
eu nunca te esqueci, mas..., passou, ficou a alegria sem o sorriso, ficou o abraço sem calor, ficou o beijo seco, que até hoje se mantém..., sonho.

- Cacau, se eu tivesse lido parte de tua obra, por menor que fosse, não contaria outra historia?
DESENCONTRO - TODAS AS VIDAS POSSUEM.
Linda..., parabéns. julio cesar - Putz..., viajei, rsrsrsrs. DEIXA..., EU SER!!!

PS- Cacau tu és a própria viagem.